Superação Samurai


A história de hoje é pra motivar todos que encontram algum motivo pra desanimar e desistir de algum sonho… a Verinha é um exemplo disso e nos contará hoje sua história rumo a Mizuno Uphill Marathon, e nos dará ainda mais forças para buscarmos sempre o que desejamos:
“Sou Vera Lúcia Maksoud, tenho 66 anos e comecei a correr com 45.

Logo no início, por pelo menos 11 anos sempre estive entre as 3 primeiras da categoria no ranking Corpore. 
Em um determinado período o trabalho estava interferindo no meu desempenho na corrida e resolvi parar por uns 4 anos.
Em 2013 retornei e mudei mudei para corridas de montanha. Estava indo bem, conseguindo ser a primeira na minha categoria nos 10km! O que me motivava ainda mais a continuar.

Em Novembro de 2015, me lesionei na Serra do Japi , rompendo os ligamentos do tornozelo direito, um total e outro parcial. Tive que ficar imobilizada por um mês. Após este período, me recuperei e voltei treinar – entretanto com dores e com inchaço nós pés, o que não seria muito normal após seguir as recomendações médicas. 

Indicaram-me um especialista em pé e tornozelo e resolvi verificar se estava tudo bem mesmo. Foi quando descobri que minha lesão tinha sido muito maior: havia quebrado o tornozelo! Foi uma torção do pé para os 2 lados e com isso fissurado o pé. Como tinha voltado a treinar, isso desestruturou meu pé e para ajudar apareceu uma doença congênita (doenças congênitas surgem quando a imunidade está baixa, no meu caso foi essa desestrutura que causou). 


Foi então que o ortopedista me retirou da corrida por mais um ano e um mês. Fiquei sem poder andar, fazendo uso de muletas e bengala e ainda com o risco de não correr mais…

Desde o início da minha lesão, tentei entender qual o aprendizado que Deus queria me ensinar…
Segui com a orientação do ortopedista, usando uma bota especial por todo esse tempo. Foi quando abriram as inscrições para sorteio da UPHILL MARATHON para 2017. Me inscrevi como uma forma de me incentivar na recuperação e para minha surpresa fui sorteada! Enviei o resultado do sorteio para meu treinador e escrevi: Sei que não estou fazendo absolutamente nada, mas essa será minha MOTIVAÇÃO para não abandonar a corrida.

A medida que o ortopedista ia me liberando, o Emerson (meu treinador) ia me passando atividades: musculação nos membros superiores, depois membros inferiores, bike…  até iniciar a caminhada.


No início de 2017 fui liberada pelo ortopedista. Nessa ocasião resolvi me submeter à uma avaliação biomecânica, contratar uma nutricionista e assim correr atrás do prejuízo. 

Os resultados da avaliação mostraram aquilo que já sabia: precisava corrigir meu corpo, fortalecer todo lado direito,  pernas e quadríceps e corrigir a postura na corrida. Com base nos resultados, contratei um personal, que muito me auxiliou! Ele seguiu as orientações do fisioterapeuta Evaldo Bosio e do meu treinador, para juntos alcançarmos nosso objetivo. Tive também a ajuda nutricional, conforme já mencionei. Assim foi dada a largada para #correratrasdeumsonho com #focototal. Detalhe: mantive segredo absoluto, achei melhor.


A volta foi dura! Treinar subidas atrás de subidas e ter resultados ruins em longos por dieta errada… assim tive que trocar de profissional para ter um auxílio adequado para melhorar meu desempenho. Dois meses antes da prova houve um reajuste nutricional e comecei a ter bons resultados! Foi então que resolvi fazer Coaching Esportivo para me manter focada e equilibrada.

Eu sabia tudo sobre a UPHILL e creia: ela não me deixou com medo!  E todo o trabalho que tive, sabia que ela seria minha aliada/parceira. 

Finalmente chegou o dia de embarcar para #correratrasdeumsonho. E eu estava calma demaaaaiiiisss! Porém muuuuuuiiiito, mas muuuuuiiiito emocionada. 


Foi um sonho: chegar em Floripa, ir para Criciúma e em seguida para Treviso. Retirar meu kit…  ahhhhhhh o tão esperado kit! Meu número de peito para conhecer o meu sonho/desafio: #SERRADORIODORASTRO. 

Conhecia todas as regras do jogo e havia feito um trabalho de atleta profissional, isso me deixou tranquila. Assim fui para a corrida e fiquei no 24km onde seria o corte com 3 horas. Tempo total de prova 6 horas.

Passei no corte após 3 minutos. 

Neste ponto que fica em Lauro Miller, havia um ônibus que nos levaria ao TOPO.

E no caminho, vi que havia ganhado 3 minutos, analisando percebi que só havia treinado no frio e com chuva. Como a prova teve seu horário alterado, acho que senti a mudança de clima. Inicialmente a prova era com início a tarde e subia a SERRA a noite. Este ano a largada foi as 7 h da manhã (estava 6 graus de temperatura) e logo esquentou muito, chegando a 36 graus! Muita gente passou mal , teve cãibras e foi socorrida por ambulâncias. 


Enfim, tive meu desafio realizado, ainda que não tivesse terminado a prova. Tudo porque tive uma perspectiva inicial de não voltar para a corrida, de abandonar essa modalidade da minha vida… mas, foi ela que me fez me manter viva, motivada, determinada e com muita garra de ir atrás de novos desafios. Sai de lá forte e grande.

Com a certeza que a Vitória maior foi a de um crescimento espiritual e pessoal imenso. Que mesmo naquilo que poderia ser um fracasso me trouxe ensinamentos memoráveis. 

Tive ao meu lado, durante e pós preparação profissionais incríveis, amigos maravilhosos e quem sabe motivei pessoas a nunca desistirem de seus mais secretos sonhos. 
A prova é mágica – congresso técnico, entrega dos kits , a cerimônia da largada tudo é INCRIVELMENTE MÁGICO.


Tenho no meu treinador Emerson Bisan, o meu maior incentivador e o responsável pela realização desse desafio. Um profissional de reputação ilibada. É o meu primeiro técnico e meu apoiador.

Evaldo Bosio (fisioterapeuta da Prime Fisioterapia), desde o início da minha lesão foi um profissional incrível, me ajudando a voltar para a corrida. Um ser humano diferenciado. Sou eternamente grata pelo seu carinho e amizade.

Aurea Bisan
, que me deu suporte nos bastidores. Tudo relativo a acomodação e traslados. Além de seu carinho e força diária. 

Rafael Carvalho
meu personal que me ajudou ficar forte para realizar meu desafio.

Andrea Matarazzo
que me trouxe para o game de novo, no suporte nutricional. Uma querida, carinhosa, amiga e competente. 

José Carlos Fernando, meu Coaching Esportivo, que ainda tem me ajudado no meu equilíbrio entre minha vida esportiva e pessoal.


E a minha equipe Nova Equipe, pelo incentivo e apoio que me foi fundamental. Além aos amigos reais e virtuais das redes sociais. 

Um agradecimento especial para o Gustavo Maia do #Programafolego pelo carinho que me foi dado!  Estou no último vídeo do Programa sobre a MIZUNO UPHILL MARATHON 😊


Aos Atletas: Leandro Carvalho que me acolheu com carinho na SERRA e nos treinos e Tales Camargo que se consagrou SAMURAI nesta última edição. 


E a você Juliana Bakanovas, pelo interesse na minha história.”


Que todos possam se sentir motivados como essa querida, que buscou forças na sua maior motivação para poder seguir em frente e realizar seu sonho mesmo diante de tantos obstáculos!

Parabéns Verinha por sua determinação e obrigada por contribuir conosco! 😘

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s